Aqura

Confraria da Santa Escravidão – Por São Cura d’Ars

             Salve Maria Puríssima! 

Para São Cura d’Ars neste texto entrar para a confraria seria entrar nos números dos consagrados a Santíssima Virgem pela Santa Escravidão de Amor.

 Para entrar na confraria é preciso escolher um dia da sua devoção, e, tendo feito uma boa confissão e Comunhão com intenção de ganhar a indulgência plenária, apresentar-se ao sacerdote que tenha o poder de admitir na confraria, mandar benzer as correntinhas e recebê-las das mãos dele.

Amarrem-se as correntinhas no lugar onde se pretende usá-las. Bom seria mandar benzer também o terço da Santa Escravidão (pequena coroinha de Nossa Senhora).

Os escravos da Mãe de Jesus devem marcar um dia para celebrarem anualmente o aniversário da sua entrada na confraria.

Além disso, há todos os anos uma festa principal que os confrades devem solenizar de modo particular. A Santa Sé determinou a festa da Anunciação e os protestos que fizeram à Mãe de Jesus.

Deverão confessar-se comungar em ação graças pelo favor que lhe fez a Santíssima Virgem recebendo-os como escravos, oferecendo-lhe a boa obra que querem fazer em honra dela, dizendo: “Eis, minha querida Senhora, o humilde tributo que vos ofereço em agradecimento do domínio que tendes sobre o meu coração, depois de Deus, obtendo-me a graça de ser por vós recebido céu, para oferecer-vos um tributo eterno de bênçãos e de louvores em companhia de todos os santos!”.

 Todo fiel servo da Santíssima Virgem deve

  1. Ter nela uma grande confiança;
  2. Recorrer a Ela em todas as necessidades;
  3. Não passar nem um dia sem dirigir-lhe qualquer oração;
  4. Confessar-se e comungar nos dias das suas festas;
  5. Mostrar a sua devoção diante dos mundanos;
  6. Fazê-la conhecida e amada pelos outros;
  7. Levar uma vida digna dela pela imitação das suas virtudes, em particular de seu espírito de fé e da sua pureza;
  8. Ter no quarto ou gabinete uma de suas imagens ou estátuas para honrá-la;
  9. Lembrar-se de que o sábado lhe é consagrado;
  10. Pedir-lhe todos os dias a graça da perseverança final.

 Fonte: “O segredo da Verdadeira Devoção para com a Santíssima Virgem” – Pe. Júlio Maria de Lombaerde, S.D.N